survey pad

2) DOENÇAS DAS ARTICULAÇÕES



Traumatismos simples e ataques de bactérias podem provocar artrites — inflamação e degeneração dos tecidos das articulações.
o      DENOMINA-SE GENERICAMENTE ARTRITE;
o      FEBRE REUMÁTICA;

Em virtude de seu uso constante, as articulações estão frequen­temente sujeitas a cargas excessivas ou traumas, causadores de al­terações inflamatórias e degenerativas. Contudo, várias outras causas também podem determinar doenças das articulações.

Denomina-se genericamente artrite qualquer processo inflama­tório que afete uma articulação. Existe também a denominação ar-trose, usada com maior frequência para identificar enfermidades crónicas, progressivas, com degeneração e crescimento anómalo (hipertrofia) da cartilagem e do osso.

Como sintomas, a artrite típica apresenta sensação de calor, ru­bor, imobilização relativa e dor, em consequência do processo in­flamatório intenso que afeta a articulação. Grande número de artri­tes resulta da ação agressiva de microrganismos infecciosos. Uma delas, a artrite gonocócica, atualmente rara, é produzida pela bac­téria da blenorragia, a Neisseria gonorrhoeae.
                                                  

Outra é a artrite tuberculosa, encontrada sobretudo em crianças e que geralmente afeta uma única articulação. Muitas vezes, repre­senta uma complicação da tuberculose pulmonar. Também os rins, órgãos genitais e gânglios linfáticos podem ser a sede inicial dessas artrites, que atingem articulações periféricas, como joelhos, cotovelos, punhos ou, ainda, a coluna vertebral. O processo pode ser acompanhado de destruição articular, com lesão de cartilagens e ossos, a ponto de determinar perda total das funções da articula­ção (anquilose).

Forma mais comum de artrite é a piogênica ou supurativa, a qual pode ser causada por grande variedade de microrganismos produtores de pus. Em geral, são bactérias comuns, como os es-treptococos ou os estafilococos.

Artrites desse tipo podem preceder ou acompanhar infecções de outras partes do organismo, podendo atingir indistintamente qual­quer articulação. Os sinais inflamatórios são intensos e genéricos, como febre, mal-estar, falta de apetite. No entanto, de maneira ge­ral, as artrites supurativas não são causa frequente de dano articu­lar definitivo.

A sífilis, por sua vez, também pode afetar as articulações, tanto quando a infecção é de nascença, como quando é adquirida: a in­tensidade da artrite sifilítica é variável. Os microrganismos respon­sáveis pela rubéola, brucelose e disenteria bacilar também podem determinar a artrite.

FEBRE REUMÁTICA — Uma infecção causada por estrepto-cocos poderá determinar uma reação anómala conhecida por febre reumática. Essa enfermidade atinge, entre outros, o sistema nervo­so, o coração, os pulmões e também as articulações. As grandes ar­ticulações (joelhos, cotovelos, tornozelos) são as mais afetadas. Quando cessa a fase ativa da moléstia, desaparecem completamen-te os sintomas articulares.

Também o reumatismo pode determinar o aparecimento de uma forma de artrite, a reumatóide. Ê uma afecção generalizada que atinge vários órgãos e sistemas, além das articulações. Estas po­dem sofrer deformações tão intensas a ponto de levar o indivíduo à incapacidade física praticamente total.

Já a artrite gotosa é resultante da deposição de sais de ácido úríco, os uratos, nas cartilagens articulares. Isso porque a gota é uma doença que se caracteriza por uma alteração metabólica que leva à produção exagerada de ácido úrico no organismo. Quando os uratos se depositam nas cartilagens, provocam fortes dores articu­lares; além disso, a deposição de uratos pode ser tão grande a pon­to de determinar destruição de zonas articulares, com consequente perda irrecuperável de função.

Outras causas de artrite são os tumores benignos ou malignos. Os tumores benignos mais comuns, no caso, são os condromas (tumores cartilaginosos) e os osteocondromas (tumores mistos de ossos e cartilagens). Já no que diz respeito aos tumores malignos, o mais importante é o sinovioma, derivado da membrana sinovial, que reveste a cápsula articular.

Finalmente, a artrite poderá ser resultante de vários tipos de traumatismo, provocado por pancadas, choques, quedas. Um traumatismo intenso pode levar à ruptura parcial ou total da cáp­sula articular e seus ligamentos, com lesão da sinovia e dos menis­cos. A sinovia responde à agressão através do aumento de secre­ção de líquido sinovial: é o chamado derrame articular. Quando ocorre ao mesmo tempo a ruptura de vasos sanguíneos, o caso é de hemartrose, ou seja, derrame sanguíneo na articulação.

Existem também outras afecções que, apesar de não atingirem diretamente as articulações, são englobadas no estudo das doenças das articulações. Uma dessas afecções é a bursite (faursa, bolsa), is­to é, a inflamação das bolsas sinoviais, as estruturas que funcio­nam como auxiliares dos ligamentos e dos tendões e que possuem grande mobilidade. Funcionalmente, essas bolsas facilitam a mobi lidade e o deslizamento dos ligamentos e tendões. A inflamação atinge, com maior frequência, os homens porque estes sempre de­senvolvem maior atividade física. Acredita-se que a bursite resulte de traumas contínuos e repetidos. A inflamação quase sempre pro­voca dores nos cotovelos e nos ombros.

Outra afecção é a inflamação dos próprios tendões musculares, tecnicamente denominada tenossinovite. Na maior parte das ve­zes, a inflamação é resultado de traumas constantes como uso ex­cessivo ou solicitações muito intensas. Ocorre com frequência nas mãos de artesãos, datilógrafos e pianistas. Apesar do trauma de­sempenhar importante papel desencadeante, comumente está asso­ciado a processos infecciosos.